Poesia

Reflexo

No reflexo da porta do trem
rostos desconhecidos
Embora familiares
dois olhos, nariz, boca
as vezes vejo as orelhas
as vezes joias
Na maioria fones de ouvido
Cada vez mais coloridos
e grandes
Nas manhãs ouço apenas o silêncio
e as reclamações
Lamentos de atrasos e
maus atendimentos
Na escuridão da noite
As pessoas falam mais
Convivem, conversam
Falam sobre assuntos
Banais
As pessoas precisam
ser mais

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s