A Arte de Contar Histórias

Fezes III – Agora eu consigo ver…

Enquanto Liesel escrevia novas palavras em seu vocabulário na parede, Max observava.

– De onde tira todas essas palavras? – Max perguntou

– É segredo – Liesel respondeu

– Mas para quem eu vou contar? – perguntou Max que não podia sair do porão e recebia apenas a visita de Liesel, praticamente.

– A mulher do prefeito me deixa ler seus livros, aí eu memorizo.

– “A memória é o escriba da alma”, sabe quem disse isso? – Liesel fez que não – Um homem chamado Aristóteles – respondeu Max e Liesel sorriu – Você me faz um favor? Pode descrever o dia para mim? Como está lá fora?

– Está nublado – Liesel respondeu.

– Não, não! Use as suas palavras. Se seus olhos pudessem falar, o que eles diriam?

– Está um dia pálido. Tudo está trancado atrás de uma nuvem e o Sol não parece o Sol.

– Então o que parece? – Max perguntou

– Uma ostra prateada? – Liesel arriscou

– Uma ostra prateada. – Max fechou os olhos e apontou a cabeça com o dedo indicador – Agora eu consigo ver também.


Max sabia que a descrição objetiva, usando as convenções que já conhecemos sobre o tal dia nublado, não era suficiente para sentir-se parte do dia lá fora, mesmo sem poder sair. Somente a descrição de uma criança, que consegue enxergar além dos olhos adultos e cansados, seria capaz de fazê-lo ver.

Esse olhar de criança que quero em mim…


(Trecho retirado do filme “A menina que roubava livros” – 57’30”)

No livro esta cena acontece de outra maneira, amanhã eu escrevo.

Por Tina Chaves, apenas mais um ponto de convergência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s